• Maria Papoila

    Hábitos e costumes: brinquedos alentejanos

    Maria Papoila; papoila; Alentejo

Papoila - boneca - brinquedos do Alentejo

Nos pequenos povoados, as papoilas, pelas mãos das crianças, transformam-se num dos mais belos brinquedos: a boneca Maria Papoila.

As papoilas do Alentejo

Na voz das papoilas, o Alentejo pinta-se de magia. Fazem parte das gentes e pitam o colorido da parece monótona imensidão da planície. O seu vermelho, vivo e puro, adorna os trigais e os beirais das estradas: encanta e seduz num surrealismo único.

Nos pequenos povoados, pelas mãos das crianças, transformam-se num dos mais belos brinquedos: a boneca Maria Papoila.



Papoila - boneca - brinquedos do Alentejo

Boneca Maria Papoila: um brinquedo construído pelas crianças do Alentejo.

A boneca Maria Papoila

Lembro os meus tempos de criança: calcorreando os montes e adornada com um colar de pampilhos. Ao som do chilrear da criançada, jogava-se ao  “É galo ou é galinha?,” com os botões da flor, e, no depois, era a Maria Papoila que dava asas à minha imaginação.

Embevecida, com delicadeza, partia os caules para fazer as pernas e os braços, virava ao contrário as pétalas da flor e, com uma erva resistente, atava a saia que sonhava para mim. Nunca tive um vestido vermelho mas vesti-os nos campos do velho Alentejo.



Pontos de interesse em Alentejo



Booking.com

Alojamentos recomendados por alentejoturismo.pt

    • casa da ti catrina004 768x576

    Casa da Ti Catrina

    • a casinha do rui030 768x511

    A casinha do Rui: vista de mar e cidade

    • 206863284 768x576

    Calmaria Guesthouse

    • 142342661 768x576

    Chalé da Baía

    • 211679314 1 768x512

    Casa do Escritor

Brevemente, disponível.

Mais impressões de “Maria Papoila”

Facebook Comentários bem-vindos
Guida Brito
Author: Guida Brito

Apaixonada pelo Alentejo; escrevo-o de forma sentida e vivida. Abraço e acarinho a simplicidade e a pureza de ser dos meus avós e do meu Pai: é esse o Alentejo que vos conto; o que se esconde entre as flores da primavera e o cheiro das primeiras chuvas. Escrevo o ultimo reduto, o recanto por desbravar; o encanto da ancestralidade que permanece pura e proba no dourado da planície ou nos recortes do litoral. Escrevo: os poejos, a açorda, a janela, a soleira, o cata-vento, a chaminé, o rio, a primavera… escrevo gentes nobres; escrevo o banco da rua; escrevo as tabernas … escrevo lugares; escrevo a simplicidade; escrevo amor. AlentejoTurismo é um sonho; é um conto de uma história real contada no sentar ao fresco, na brandura das quentes noites de verão. AlentejoTurismo é transmissão de conhecimento que o orienta num Alentejo por desbravar. Com carinho. A autora: Guida Brito

© Copyright - AlentejoTurismo.pt