• Museu vivo

    Grandaços

Carroça - Museu vivo – Grandaços – Concelho de Ourique - Alentejo

As carroças são presente impresso nas vidas do campo – Museu vivo – Grandaços – Concelho de Ourique – Alentejo.

Museu vivo – Grandaços – Concelho de Ourique – Alentejo

Grandaços destaca-se, no interior alentejano, por  características que fazem desta povoação um Museu vivo:  a simplicidade das suas gentes; a manutenção de hábitos e costumes impressos no presente dos seus habitantes; a existência de produtos naturais; o uso de objetos que há muito se substituíram por outras tecnologias; e, a forma como nos é permitido integrar estas vivências.

O ferrado (serve para ordenhar as ovelhas); o fabrico do presunto caseiro; a existência de uma casa para as linguiças; o leite de cabra apenas fervido; os queijinhos, a massa de pimentão, a manteiga de ovelha, o almece e outro tanto que transformam esta localidade num Museu Vivo.

Um Museu Vivo ao acesso do nosso olhar; o qual podemos vivenciar.



Uma das senhoras mais idosas do povoado - Gentes - Museu vivo – Grandaços – Concelho de Ourique - Alentejo

A simplicidade das suas gentes – Museu vivo – Grandaços – Concelho de Ourique – Alentejo.

Aquando da minha visita ao povoado, a convite da Dona Maria Vitória Nobre, fui recebida de forma simpática e integradora pelos seus habitantes (incansáveis no abrir das portas de suas casas, vidas, hábitos e costumes).

Todos manifestaram agrado em participar na nossa reportagem e contribuir para a divulgação de um património muito próprio. Foi tanta a envolvência, das pessoas do monte dos Grandaços, que os ausentes manifestaram o seu pesar por ali não estar. A Dona Chica Braz  (foi uma dessas pessoas)  costuma estar na Taberna do Tio Raul (Taberna Grandaços): não se perdoa por se ausentar, no dia em que o AlentejoTurismo ali se deslocou.

Ida ao poço

Quarta à cabeça - Ida ao poço - Grandaços - Ourique - Alentejo

Quarta à cabeça, assim se transportava, outrora, a água para abastecer as casas do Alentejo – Ida ao poço – Grandaços – Ourique – Alentejo.

O que comer?

  • Presuntos da região demarcada de Santana da Serra;
  • enchidos:
  • pratos de carne de porco preto:
  • migas;
  • cozido de grão ou feijão;
  • sopas de tomate e peixe;
  • açorda;
  • poejada de ourique;
  • sopa de beldroegas;
  • outros pratos alentejanos;
  • bolos de amassadura:
  • queijinhos;
  • moelinhas, na Taberna Grandaços;
  • cabidelas ou outros pratos regionais – a pedido na Taberna Fica Bem;
  • aguardente de medronho.

Pontos de interesse em Museu Vivo



Booking.com

Alojamentos recomendados por alentejoturismo.pt

    • casa da ti catrina004 768x576

    Casa da Ti Catrina

    • a casinha do rui030 768x511

    A casinha do Rui: vista de mar e cidade

    • 206863284 768x576

    Calmaria Guesthouse

    • 142342661 768x576

    Chalé da Baía

    • 211679314 1 768x512

    Casa do Escritor

Ver a etiqueta “O que comer?”

Na localidade existe uma mercearia.

Centro de Saúde de Ourique

Sede

Morada: Rua da Misericórdia, Apartado 4
7670-262 Ourique

Telefone: 286 510 300

Email: csourique@ulsba.min-saude.pt

Extensões de Saúde

Garvão

Morada: Rua da Sardoa
7670-142 Garvão

Telefone:  286 555 129

Panóias

Morada: Largo do Terreiro, 27
7670-405 Panóias

Telefone: 286 563 138

Santana da Serra

Morada: Rua Dr. José Silva Cristina
7670-613

Telefone: 286 545 125

Santa Luzia

Morada: Largo Poço da Praça
7670-503 Santa Luzia

Telefone:  283 691 193

Saúde 24 – 808 24 24 24

R ENG DUARTE PACHECO Nº 25, OURIQUE
7670-999 OURIQUE

Dias úteis : 09:00 – 12:30 , 14:00 – 17:30

Mais impressões de Museu Vivo

Facebook Comentários bem-vindos
Guida Brito
Author: Guida Brito

Apaixonada pelo Alentejo; escrevo-o de forma sentida e vivida. Abraço e acarinho a simplicidade e a pureza de ser dos meus avós e do meu Pai: é esse o Alentejo que vos conto; o que se esconde entre as flores da primavera e o cheiro das primeiras chuvas. Escrevo o ultimo reduto, o recanto por desbravar; o encanto da ancestralidade que permanece pura e proba no dourado da planície ou nos recortes do litoral. Escrevo: os poejos, a açorda, a janela, a soleira, o cata-vento, a chaminé, o rio, a primavera… escrevo gentes nobres; escrevo o banco da rua; escrevo as tabernas … escrevo lugares; escrevo a simplicidade; escrevo amor. AlentejoTurismo é um sonho; é um conto de uma história real contada no sentar ao fresco, na brandura das quentes noites de verão. AlentejoTurismo é transmissão de conhecimento que o orienta num Alentejo por desbravar. Com carinho. A autora: Guida Brito

© Copyright - AlentejoTurismo.pt