• Fotografia 68

    I Concurso Fotográfico AlentejoTurismo
    “Olhar a primavera, no Alentejo”



68 - Exposição das fotografias concorrentes: “Olhar a primavera, no Alentejo”; I Concurso Fotográfico AlentejoTurismo

68 – No AlentejoTurismo, os telhados recebem com prazer e saber, suportam a vida na rudeza do clima e encantam quem deles quer saber. Localização: Portalegre

Fotografia 68 – 6º Lugar

Frase: “No AlentejoTurismo, os telhados recebem com prazer e saber, suportam a vida na rudeza do clima e encantam quem deles quer saber.”

Autor: Sérgio Rosa.

Localização: Portalegre

Biografia de Sérgio Rosa

“Nasceu em Abrantes, em 1971, mas vive no Pego desde sempre. Concluiu os estudos secundários na Escola, atual ESA, em Curso Técnico de Contabilidade e Gestão.Logo depois, ingressou nas Fundições do Rossio de Abrantes, onde permaneceu de 1989 até 1997.

Começou então a trabalhar no Grupo Estrada, do qual a empresa mais conhecida, é do sector corticeiro: Sofalca, Lda, a única unidade fabril, em Portugal, que produz cortiça expandida.Na empresa sou responsável pela Contabilidade e Fiscalidade e Recursos Humanos.
O seu hobby principal é a fotografia, e ainda horticultura biológica, e guia local.

Ligado à indústria da cortiça por profissão e paixão. Por motivos profissionais, o grosso do fluxo de trabalho é proveniente do Alentejo.

E como guia turístico, focado na Floresta de cortiça, onde o Alentejo é rei na produção.Como curiosidade, a sede do local de trabalho, fica localizada na fronteira entre o Ribatejo e o Alentejo.

Por esse motivo todos os dias viajo do Ribatejo em direcção ao Alentejo, tendo por isso uma forte ligação alentejana.”

Parabéns; obrigada, pela sua participação;

AlentejoTurismo

A Casinha do Rui



 

Facebook Comentários bem-vindos
Guida Brito
Author: Guida Brito

Apaixonada pelo Alentejo; escrevo-o de forma sentida e vivida. Abraço e acarinho a simplicidade e a pureza de ser dos meus avós e do meu Pai: é esse o Alentejo que vos conto; o que se esconde entre as flores da primavera e o cheiro das primeiras chuvas. Escrevo o ultimo reduto, o recanto por desbravar; o encanto da ancestralidade que permanece pura e proba no dourado da planície ou nos recortes do litoral. Escrevo: os poejos, a açorda, a janela, a soleira, o cata-vento, a chaminé, o rio, a primavera… escrevo gentes nobres; escrevo o banco da rua; escrevo as tabernas … escrevo lugares; escrevo a simplicidade; escrevo amor. AlentejoTurismo é um sonho; é um conto de uma história real contada no sentar ao fresco, na brandura das quentes noites de verão. AlentejoTurismo é transmissão de conhecimento que o orienta num Alentejo por desbravar. Com carinho. A autora: Guida Brito

© Copyright - AlentejoTurismo.pt