1
Pé de vinha em frente a casa.

Rolão

Ruas lavadas, casas caiadas despertam-nos ao primeiro olhar. O povoado é pequeno e a maioria das casas estão desabitadas.

2
Igreja com marco geodésico e árvore.

Geraldos

Dista 3,5 km de Castro Verde; tem 169 habitantes e perdeu-se no tempo, num tempo que o mantém.

3
Casa de barra azul com pote.

Guerreiro

Embora distante de Castro Verde, é fácil lá chegar e a viagem garante a plena satisfação do viajante: uma aventura no puro Alentejo.

4
Igreja branca

Santa Barbara de Padrões

A Aldeia- assim a referiam, os seus habitantes, nos meus tempos de estudante. Mais tarde soube-lhe o nome mas só agora, passados muitos caminhos, regressei ao local que sempre ouvira.

Casa com barras azuis e pote

Casa tradicional recuperada

As Freguesias

O Concelho de Castro Verde está dividido em 4 freguesias:

  • União de freguesias de Castro Verde e Casével
  • Entradas
  • Stª Bárbara de Padrões
  • São Marcos da Ataboeira
Ribeira na primavera.

Ribeira Maria Delgada, na primavera, Castro Verde

Reserva da Biosfera da UNESCO

A região de Castro Verde é profundamente rural. A pura comunhão do homem com a natureza, através de práticas ancestrais, determinou a classificação: Reserva da Biosfera da UNESCO.

Práticas centenárias de uma agricultura extensiva respeitam o habitat de, entre outras, aves como a abetarda, o sisão e o peneireiro das torres.

Uma extensa planície repleta de sedutores montes e deliciosos pequenos aglomerados populacionais.

Mulheres alentejanas na rua.

“As Ceifeiras”- grupo coral feminino de entradas- Feira de Castro Verde 2017

As gentes

Gentes doces e sábias, com uma forma única de estar na vida, caracterizam a sua população.

É muito rica a agenda cultural da região: a tradição e os costumes antigos são uma oferta presente nas múltiplas festas e romarias do concelho.

Homens com trajes na rua a levar mantas de lã de ovelha

As mantas são elaboradas em teares com lã de ovelha.

Cante

Aqui, o cante de despique e baldão, em modos muito próprios, é dinamizado por diversos grupos corais e pode ser ouvido, entre petiscos, no final da tarde, em algumas tabernas.

A viola campaniça – instrumento cordiforme; outrora utilizado nos bailes populares e no cante de despique e baldão – ainda se faz ouvir na expressão musical da região.

Imperdível

O que comer?

(sabores únicos e centenários que têm como base o pão, plantas do campo e a carne de porco):

  • Linguiças, chouriços e paios
  • Queijinhos de cabra e ovelha (destacam-se os queijinhos preservados em sal)
  • Azeitonas pretas e “verdeais”
  • Cabeça de borrego assada e queixada de porco na mítica taberna do João das Cabeças
  • Os célebres jantares (cozido de leguminosas que se comia ao almoço) acompanhados de sopas de pão- jantar de chícharo, jantar de lebre com feijão branco, jantar de azeite, jantar de tangarrinhas, jantar de lebre com feijão branco, jantar de grãos…
  • Açorda, ensopado de borrego, carnes de porco preto, secretos, lagartos (carne de porco preto), migas, atubras com ovos (trufas); sopas de toucinho; sopas de tomate; sopas de beldroegas
  • Pão
  • Doces: folhados de gila, queijadas de requeijão e popias brancas